Avaliação da Free Agency 2019

O período turbulento da Free Agency acabou, e estamos a pouco menos de um mês da última etapa relevante antes da temporada começar, o draft. Irei avaliar as aquisições da equipe e no final do texto farei um resumo sobre as movimentações de Loomis.

  • Latavius Murray, Running Back

Latavius Murray, Running Back

A contratação de Murray foi uma mistura de emoções, primeiro foi a tristeza de ver um ídolo como Ingram sair do time, depois o processo de aceitação, e agora, avaliando mais friamente a chegada do running back ex Vikings, vemos que não foi nada ruim. O jogador tem um perfil e números parecidos com os de Ingram (apesar de ser bem mais alto) e virá para ser o complemento de Kamara, que deverá ver mais snaps agora. O mais interessante desse processo foi o seu contrato, apenas 3,6 milhões por ano por 4 temporadas, e isso para um atleta que terá um bom tempo em campo é excelente. Fica aqui o saudosismo com Mark Ingram, que foi um dos grandes running backs do Saints, mas pelo que foi relatado, sua saída se deu muito mais pela ambição de seu agente do que propriamente má vontade do staff em renovar.

Nota: 7,5

 

  • Malcom Brown, Defensive Tackle

Essa foi, para mim, a segunda melhor contratação na free agency, não que nose tackle fosse uma necessidade latente, tínhamos no elenco Stallworth e a opção de renovar com Davison, o titular da equipe nas últimas três temporadas, mas sempre que há a oportunidade de trazer um jogador desse calibre, bicampeão do superbowl, deve ser feito. Davison foi um jogador sólido, mas Brown é um upgrade visível a ele, era um prospecto muito promissor na época do draft, e apesar de não ter se tornado um jogador top 3 na posição, produziu muito bem em New England. É um atleta muito inteligente, excelente contra a corrida, além de saber também pressionar o quarterback adversário, estou muito ansioso para vê-lo com a camisa do Saints.

Nota: 8,5

 

  • Mario Edwards Jr, Defensive lineman

Essa foi a contratação que menos me empolgou, apesar da necessidade de um DT 3-tech (por causa da lesão de Sheldon Rankins, a da situação indefinida de Onyemata), preferiria apostar em algum jogador no draft e trazer na free agency um 4-3 defensive end. A carreira de Edwards nunca atingiu suas expectativas, era um jogador muito interessante em FSU, mas tem números muito modestos na NFL (7,5 sacks em 45 jogos). Apesar disso, ele é um jogador jovem e com potencial de melhorar nas mãos de Nielsen, além de ser versátil e ter experiência jogando por toda a linha defensiva, embora o veja muito mais como um 3-tech do que na rotação dos DE’s. O fato mais interessante dessa aquisição é o contrato, duas temporadas, com média de 2.35 milhões e apenas 950 mil garantidos. Por ser uma contratação com pouquíssimo risco não achei nada ruim, apesar de não ter muitas expectativas.

Nota: 7,0

 

  • Nick Easton, Center/Guard

A aposentadoria de Max Unger, um dos pilares da fortíssima linha ofensiva da equipe, foi um choque para os fãs, e o time precisava urgentemente de alguém para suprir essa ausência, já que apostar na inexperiência de Cameron Tom parecia muito arriscado para quem tem Drew Brees e está em modo “win now”. A solução veio rápido, e foi muito interessante, Unger apesar da liderança e da regularidade parecia estar caindo de produção e Easton tem potencial para render até mais que o seu antecessor. O jogador recém chegado jogou mais como guard em Minesota, porem tem experiência também como center, sua contratação foi providencial para manter a solidez da linha ofensiva que foi uma das melhores da liga temporada passada. O contrato foi muito bom (média de 5.625 mi por ano), e da a equipe a alternativa de não renovar com Peat, caso ele peça muito alto, pois como disse, Easton também joga de guard.

Nota: 8,0

 

  • Marcus Sherels, Punt returner

Apesar de ter ficado muito feliz com a saída de Tomylee Lewis, que não vinha produzindo nada, ele era o retornador oficial da equipe, e sem ele, havia o medo de arriscar o Kamara em kickoffs ou punts. Por isso, era necessária a chegada de um retornador na offseason, que veio via free agency, Sherels é oficialmente um cornerback, porém fez sua carreira em special teams, e é onde irá contribuir em New Orleans.

Nota: 7,0

 

  • Jared Cook, Tight End

Essa foi, para mim, a grande contratação do Saints na free agency, pode não ter sido um “splash” tradicional, mas conseguimos trazer o melhor TE free agent, e por um preço justo. É óbvio que tight end era nossa grande necessidade, tínhamos um grupo desastroso após a aposentadoria de Watson no final do ano. Eu achava que iríamos endereçar essa posição na ótima classe no draft, mas é arriscado esperar que alguém que possa produzir de imediato sobre na 62ª escolha, fizemos a alternativa mais segura. Cook teve sua melhor temporada em 2018 e foi um dos poucos que se salvaram no ano sofrível em Oakland, agora no Saints, com Brees/Payton, que adoram acionar tight ends, o jogador de 31 anos só tende a melhorar sua produção, estou muito empolgado em vê-lo atuando em New Orleans.

Nota: 9,0

 

Resumo Geral:

Essa foi a terceira free agency seguida que vimos um Mickey Loomis lúcido nas decisões, sem pagar demais, como vimos muitas equipes na liga fazerem. A verdade é que a equipe está pronta e tinha poucos ajustes a fazer, e após essa free agency, tem ainda menos. As contratações, assim como ano passado, foram pontuais e deixaram poucas pontas soltas no elenco. Minha nota geral esse ano foi de 7,8.

DEIXE UMA RESPOSTA