“Eu apenas quero que as pessoas se lembrem de mim como um bom jogador e não realmente como um jogador malvado. Eu quero ser lembrado pelas 13 temporadas que joguei e por contribuir com os quatro títulos do Steelers. Eu gostaria de ser lembrado por talvez estabelecer um padrão para que outros pudessem alcançar” – Joe Greene

É com essa frase que começamos a contagem regressiva de hoje. Joe Greene foi muito mais do que um jogador da NFL, muito mais que um dos pilares da Steel Curtain, jogando ao lado de L. C. Greenwood, Ernie Holmes e Dwight White, ele foi um dos principais jogadores, dentre todas as posições da década de 70. Foi e é um exemplo de profissional, um líder e discutivelmente o melhor jogador a vestir o uniforme do Steelers em toda a história da franquia.

Em 1969 iniciava-se a trajetória de um dos grandes defensores da história da NFL como profissional. Nascido em 24 de Setembro de 1946, Joe Greene foi draftado na quarta escolha geral do Draft daquele ano, e já na primeira oportunidade, mostrou que seria uma grande estrela, talvez a principal na grande defesa construída por Chuck Noll, e que resultou em quatro títulos da AFC e quatro vitórias nos Super Bowls nos anos 70.

Conhecido como “Mean Joe” Greene, e jogando no lado esquerdo do miolo da linha defensiva, o então número 72 (usou apenas na sua primeira temporada) foi nomeado para o time defensivo de calouros em 1969 e já foi selecionado para o primeiro de 10 Pro Bowls. Foi nomeado para o time principal da NFL em cinco ocasiões e foi eleito para o time ideal da conferência por 11 anos consecutivos (1969 a 1979). Em 1972 e 1974, Joe foi eleito o jogador defensivo do ano.

Também podemos ressaltar outros grandes feitos da carreira de Joe Greene, tais como os 11 sacks na temporada de 1972, que fizeram com que o Steelers fosse pela primeira vez aos playoffs na história do time. Num jogo de vida ou morte contra Houston, Greene registrou 5 sacks e recuperou um fumble para ganhar aquele importantíssimo jogo.

Em 1974, o Steelers ganhou pela primeira vez a Conferência e um Super Bowl. Naquele ano, Greene desenvolveu uma técnica de se posicionar em ângulo agudo entre o guard e o center, o que diminuía muito a eficiência da OL adversária em bloquear o avanço da defesa. Com essa técnica, foi quase impossível para os adversários parar nosso defensor, que teve atuações espetaculares na final da AFC contra o Oakland Raiders e no Super Bowl IX, contra o Minnesota Vikings, jogo que Joe conseguiu uma interceptação e uma recuperação de fumble na linha de 5 jardas de defesa, o que foi crucial para o time derrotar o Vikings.

Dentre várias características atribuídas a apenas um jogador, Greene era “equipado” com uma incrível velocidade, explosão, força e grande determinação. No auge de sua carreira, ele ganhava praticamente todos os confrontos homem a homem. Era também um jogador com ótima durabilidade, jogando 91 jogos seguidos até se machucar em 1975. Jogou um total de 181 jogos dos 190 possíveis em temporada regular. Além das características físicas, Joe era um grande líder, sendo em 1977, nomeado capitão da unidade defensiva da equipe.

Fora de campo, Joe Greene também teve seus momentos, e talvez um dos mais marcantes tenha sido sua aparição num comercial da Coca-Cola em 1979…”Hey Kid, Catch!”, fala o não tão malvado Joe Greene para um garotinho de 12 anos. O comercial é considerado um dos melhores de todos os tempos e pode ser visto aqui.

Após sua aposentadoria em 1982, o time alterou o sistema defensivo para 3-4, tendo apenas um jogador no meio da linha defensiva. Desde então esse sistema tem sido usado como base da defesa do Steelers. Joe foi eleito para o Hall da Fama da NFL em 1987 e no mesmo ano retornaria para o Steelers para ser treinador da linha defensiva, ficando com o time até o ano de 1991, quando se transferiu para o Miami Dolphins. Após quatro anos na Flórida, ele foi para Glendale, onde foi assistente técnico no Arizona Cardinals, ficando até 2003. Em 2004 ele retornou para o Steelers como assistente especial para trabalhar com o elenco, se aposentando do cargo em 2013. Considerando todo o tempo como funcionário (jogador e staff), Joe Greene é uma das quatro pessoas fora da família Rooney a ter todos os anéis de campeão da franquia.

No dia 2 de Novembro de 2014, no intervalo do jogo contra o nosso arquirrival Baltimore Ravens, e com uma atuação iluminada de Big Ben, que lançou 6 TDs na vitória por 43 a 23, o Steelers aposentou oficialmente o número 75, porém, desde a aposentadoria do jogador em 1982, o time nunca disponibilizou o número para outros jogadores, já dando a entender que ninguém mais o vestiria após Joe Greene. Apenas ele e Ernie Stautner (falaremos da camisa 70 nos próximos dias) tiveram seus números oficialmente aposentados.

Quem vestiu a #75 antes de Joe Greene?
  • Ken Kortas (65-69);
  • Joe Krupa (56-64);
  • Nick Bolkovac (54);
  • Dick Fugler (52);
  • Jack Gearding (52);
  • George Hays (51);
  • John Schweder (51);
  • Jack Wiley (48-49).