E os dias vão passando, a temporada 2016 se aproxima, 70 dias separam esse texto do nosso kickoff contra o Washington Redskins. Com isso, vamos saber um pouco mais sobre quem foi Ernie Stautner.

Stautner, alemão nascido em Prienzing, se mudou para East Greenbush, Nova York, ainda quando tinha 3 anos, juntamente com sua família. Praticamente um americano, ele serviu a Marinha Americana antes de entrar para Boston College. Lá, ele foi titular nos quatro anos em que jogou, atuando tanto na DL como na OL. Em 1950, ele se formou em Psicologia.

1950 é um ano lembrado aqui no Brasil pela fatídica derrota da seleção em casa na Copa do Mundo, porém, lá em Pittsburgh, foi o ano que Ernie Stautner se juntava ao ainda não vitorioso time da cidade, sendo escolhido na segunda rodada, 22ª escolha geral. Jogou toda a carreira no Steelers: 1950 até 1963.

Atuando com o número 70 e jogando no centro da DL, Ernie foi considerado um dos melhores jogadores da defesa de sua era e o coração da defesa do time. Conhecido por seu estilo durão, dificilmente o jogador perdia algum jogo. Seu ex-companheiro de time, Andy Russel, ainda um calouro, uma vez ressaltou esse jeito “osso duro de roer” de Stautner. Na temporada de 1963, última de Ernie, ele chegou para o huddle segurando uma das mãos com a outra. Russel olhou e viu que Stautner tinha uma fratura no dedão, ele disse que literalmente tinha um osso saindo da pele, e ele foi o único que notou tal situação. Stautner apenas olhou para o grupo e perguntou: “Qual é a jogada?”. Após isso, jogou o restante do drive defensivo. Retornando para a sideline, ele apenas solicitou uma fita, ele mesmo fez um “curativo” e jogou o resto do jogo. Em toda sua carreira, Ernie perdeu apenas seis jogos.

Em todas as suas 14 temporadas, todas com o Steelers, Ernie Stautner foi selecionado 9 vezes para o Pro-Bowl, foi eleito para o time principal da liga nos anos de 1955, 1958 e 1959. Quando se aposentou, era o jogador com maior número de safeties registrados (3 no total) e tinha 23 fumbles recuperados, um dos primeiros na liga. No dia 25 de outubro de 1964 o Steelers aposentou oficialmente o número 70. Junto com Joe Greene, eles são os únicos a terem os números oficialmente aposentados pelo time.

No dia 13 de setembro de 1969, Stautner entrou para o Hall da Fama da NFL, esse foi seu primeiro ano elegibilidade. De 1966 até 1988, ele foi técnico assistente no Dallas Cowboys, também foi coordenador defensivo do time de 1973 até 1988. Ele foi peça fundamental no desenvolvimento de jogadores como Randy White e Ed “Too Tall” Jones. Ele ainda ficou com o Cowboys nos anos de 1988 e 1989 como olheiro de jogadores universitários. Também treinou o Dallas Texans, da Arena Football League em 1990 e 1991. Voltando para a NFL, ele treinou a linha defensiva do Denver Broncos entre os anos 1991 e 1994. De 1995 a 1997 ele retornou para a Alemanha para se tornar treinador do Frankfurt Galaxy, da NFL Europe. Com o Galaxy, ele chegou a dois World Bowls, ganhando em 1995.

Stautner foi eleito para o time ideal do Steelers no aniversário de 50 anos do time, em 1982. Ele também foi eleito postumamente pelos fans para o time principal da história do time no 75º aniversário da franquia, em 2007

Stautner faleceu aos 80 anos de idade devido a uma complicação causada pelo Mal de Alzheimer em uma casa de repouso em Carbondale, Colorado. Ele foi enterrado no Texas.

Ernie Stautner pode não ter sido parte da Steel Curtain, ou não ter um título sequer na carreira, mas com certeza é um ícone na história do time. Muito do legado que temos da Steel Curtain vem da importância que Stautner representou para o time, sendo um dos primeiros jogadores que fizeram parte do forte estilo defensivo da equipe, que é marca registrada desde então.

Quem vestiu a #70 antes de Ernie Stautner?

  • Darwin Horn (51) – Ernie vestiu a #63 na sua temporada de calouro