Serão 68 longos dias para nos curarmos da ansiedade de assistir o Steelers novamente. Mas enquanto a temporada regular não chega, vamos relembrando alguns ídolos do passado e presente. Hoje não será diferente, vamos saber quem foi L. C. Greenwood, o terceiro jogador da Steel Curtain que falamos nessa série.

Greenwood nasceu e cresceu em Canton, Mississippi, sendo o filho mais velho entre nove irmãos. Ainda tentando se descobrir nos esportes, chegou a jogar basquete por dois anos pela Rogers High School. Por ser o filho mais velho, e ter certas responsabilidades em casa, L. C. teve que escolher entre o basquete e o futebol americano. Nesse período, Greenwood também fundou sua própria empresa, no ramo de construção e pintura, e esse trabalho valeu apena. Ele recebeu uma proposta de bolsa de estudo de 50% para estudar Farmácia na Clark College, em Atlanta. Mas também recebeu bolsa integral para jogar futebol americano pela Arkansas AM&N, universidade escolhida por ele.

Não demorou muito para L. C. começar a ganhar destaque. Ainda no primeiro ano de faculdade, o DE titular se machucou e Greenwood assumiu o posto, e dali não saiu mais nos quatro anos que ficou com a AM&N. Apesar de ter sido escolhido apenas na 10ª rodada, sendo a 238ª geral do Draft de 1969, ele já despertava interesse do próprio Steelers, e também do Dallas Cowboys.

Foram necessárias 2 temporadas para que ele se tornasse titular na defesa de Chuck Noll. Em 1971 ele já era um dos jogadores da linha da defesa que viria a ser conhecida como Steel Curtain, e nela ele se manteve até sua aposentadoria em 1981. Além de sua contribuição na defesa, L. C. também era adorado pelos fans por usar chuteiras douradas, algo não comum na época. Também ganhou o apelido de “Hollywood Bags”, pois tinha vontade de ser ator após se aposentar do esporte.

Devido a sua altura (1,98 m) e velocidade (correu 40 jardas em 4,7 segundos no combine), era difícil para o ataque adversário prever seus movimentos. Conseguia chegar no QB com certa facilidade, e também tinha agilidade e visão de jogo suficiente para bloquear passes. No Super Bowl IX, contra o Minnesota Vikings, ele bloqueou 2 passes do QB Fran Tarkenton e no Super Bowl X, contra o Dallas Cowboys, ele mandou o QB Roger Staubach para o chão em 4 oportunidades. 

C. Greenwood se aposentou em 1981, e em 170 jogos (todos com o uniforme número 68 do Steelers), teve 73,5 sacks, tendo liderado o time em 6 temporadas no fundamento. Também contabilizou 1 safetye 14 recuperações de fumble, sendo 5 apenas em 1971. Nas suas 13 temporadas na NFL, Greenwood foi eleito para o Pro-Bowl 6 vezes, foi selecionado para o time ideal da liga em 1974 e 1975, por 6 anos esteve “presente” no time principal de sua conferência (AFC) e é parte do time ideal da história do Steelers. Já sabemos, mas não custa lembrar… Ele foi titular em todos os quatro Super Bowls que o Steelers venceu na década de 70.

Em 2005 e 2006, ele foi finalista para entrar para o Hall da Fama da NFL, porém não foi eleito. L. C. Greenwood faleceu de insuficiência renal no dia 29 de Setembro de 2013, em Pittsburgh, cidade que o adotou e que ele adotou como lar.

Quem vestiu a #68 além de L. C. Greenwood?

  • Kelvin Beachum (12-15);
  • Chris Kemoeatu (05-11);
  • Keydrick Vincent (01-04);
  • Shar Pourdanesh (00);
  • Brenden Stai (95-99);
  • Lonnie Palelei (93);
  • Mike Withycombe (91);
  • Lorenzo Freeman (87-90);
  • Jeff Lucas (87);
  • Mike Magac (65-66);
  • Ron Stehower (60-64);
  • Mike Henry (59);
  • Bob Dougherty (58);
  • Ed Beatty (57);
  • Frank Palmisano (54);
  • John Schweder (51-52);
  • Alex Aurilio (51);
  • Floyd Simpson (51).