Jack Lambert é o típico jogador que te faz lutar para não escrever um livro. Então o desafio aqui é grande e talvez o texto acabe sendo longo para alguns. Mas vale a pena tirar uns minutos para conhecer aquele que é considerado um dos melhores jogadores de defesa da história da liga e um dos maiores ídolos da história do Pittsburgh Steelers. Faltam 58 dias.

Jack, que na verdade não é Jack, é John Harold Lambert, nasceu no dia 8 de Julho de 1952 em Mantua, Ohio. Filho de Jack Lambert Sr, acabou adotando o nome do pai na sua vida profissional. Na High School, chegou a jogar basquete, baseball e futebol americano, mas quando foi para Kent State, focou apenas na bola oval.

No Draft de 1974, muitos treinadores e “especialistas” achavam que Lambert era muito pequeno para jogar de linebacker. Quando o Steelers o draftou na segunda rodada, 46ª escolha geral, muita desconfiança foi gerada entre os analistas da liga. Na High School jogou de QB, e mudou para LB quando foi para o College. Será que aquele pequeno jogador sobreviveria jogando na defesa, num esporte bruto como esse? A resposta é história.

Um vez no Steelers, sempre no Steelers. Foi assim de 1974 a 1984, quando se aposentou. Nunca vestiu outras cores a não ser preto e amarelo. Jack foi titular logo de cara, ganhando sua oportunidade quando o então LB Henry Davis foi colocado na lista de lesionados e não jogaria mais na carreira. Lambert não desperdiçou a oportunidade, na verdade, fez muito além do que substituir um jogador machucado ou ganhar a posição por estar no lugar certo e na hora certa. Apesar de ser o integrante mais jovem da defesa do Steelers, muitos sentiam que sua presença era o ingrediente final que a unidade precisava para se tornar dominante na liga. Em 1974, Jack Lambert foi o calouro defensivo da temporada, a primeira de muitas honras que viria a receber na carreira.

Conhecido pela sua intensidade, pelo seu jogo físico, ele foi definido como “The Premier linebacker of his era”, em inglês mesmo para não perder a beleza da definição. Em suas dez primeiras temporadas, perdeu apenas seis jogos e teve médias de 146 tackles por ano. Jack tinha todos os ingredientes necessários para o sucesso: inteligencia, intensidade, velocidade, explosão, raiva e durabilidade. Soube aproveitar todos muito bem.

Lambert teve muitos momentos marcantes dentro de campo, participou de seis finais de conferência e ganhou quatro Super Bowls, mas um dos momentos mais marcantes, ou talvez o mais marcante, aconteceu fora dos gramados, longe da mídia e da comissão técnica. O ano era 1976, e o time sofria com uma série de lesões, perdendo jogadores como Terry Bradshaw, Lynn Swann e vários outros titulares, principalmente no ataque. O Steelers perdeu quatro dos cinco primeiros jogos, e numa reunião com os jogadores Jack tomou a frente, com a atitude de um grande líder, falou que o time só poderia retornar aos playoffs para defender o título se a defesa ganhasse os jogos. O que aconteceu depois foi histórico. O Steelers ganhou os próximos nove confrontos, tomando apenas dois touchdowns e 28 pontos nessa sequência. Os placares dos jogos merecem ser citados abaixo:

  • 23×6 contra o Cincinnati Bengals
  • 27×0 contra o New York Giants
  • 23×0 contra o San Diego Chargers
  • 45×0 contra o Kansas City Chiefs
  • 14×3 contra o Miami Dolphins
  • 32×16 contra o Houston Oilers
  • 7×3 contra o Cincinnati Bengals
  • 42×0 contra o Tampa Bay Buccaneers
  • 21×0 contra o Houston Oilers

Essa grande sequência ajudou o Steelers a ganhar a divisão e chegar aos playoffs. Infelizmente o time não conseguiu passar do Oakland Raiders na final da AFC. Perdeu o jogo por 24×7 e viu o time treinado pelo lendário John Madden sagrar-se campeão do Super Bowl daquela temporada. Jack foi eleito o jogador defensivo do ano. De qualquer maneira, a atitude, a liderança de Jack Lambert e a superação de um momento ruim na temporada sempre serão lembrados pela torcida. Logo em seguida Jack se tornou o capitão da defesa.

Em muitas imagens, podemos ver Jack sem os quatro dentes da frente. Ele os perdeu após uma cotovelada ainda no High School, quando jogava basquete. As imagens de Jack sem os dentes são comumente associadas à defesa do Steelers, como uma forma de mostrar a intensidade da unidade. Fora dos gramados, ele usava uma prótese dentária para cobrir o “espaço”.

Jack ainda seria o jogador defensivo em 1983, porém em 1984, ele teve uma séria lesão no dedão do pé, o que limitou muito seu jogo e o fez perder boa parte da temporada, jogando apenas oito jogos. Essa lesão o forçou a se retirar dos gramados, terminando sua belíssima carreira na NFL.

Jack Lambert se aposentou com 1479 tackles, 23,5 sacks, 28 interceptações e 17 fumbles recuperados. Foi selecionado para o Pro-Bowl nove vezes (de 1975 a 1983), foi oito vezes All-Pro. Ele consegue o feito de estar presente nos times ideais das décadas de 70 e 80 da NFL e está no time ideal da história do Steelers. Em 1990 ele entrou para o Hall da Fama da NFL. 

Jack se casou assim que se aposentou e chegou a ser analista pela emissora NFL on Westwood One. Em 2004, o canal Fox Sports o nomeou com o jogador mais “durão” da história, e a NFL Network o colocou como o oitavo “tackler” mais temido da história e o quinto melhor jogador da história do Steelers. Desde sua aposentadoria, o Steelers tirou o número 58 de circulação e ninguém mais o vestiu desde então.

Atualmente, Jack Lambert vive com sua família em Worthington, Pensilvânia, a apenas 60 km de Pittsburgh. É voluntário na proteção da vida selvagem e agora foca em treinar times juvenis de baseball e basquete.

Quem vestiu a #58 antes de Jack Lambert?

  • Chuck Allen (70-71);
  • Ed Pine (65);
  • Gail Clark (63);
  • Roger Pillath (60).