O ano era 1974, Daniel M. Rooney, além de filho de Art Rooney (fundador do Steelers) era o GM na época, e junto com o lendário Head Coach Chuck Noll, mostraram ao mundo como ser praticamente perfeitos num Draft. Mike Webstercenter de Winsconsin, foi a quinta escolha do Steelers naquele Draft, o número 125 geral. Antes dele foram draftados outros grandes ídolos de nossa história, como Lynn Swann (1ª rodada / 21º geral), Jack Lambert (2ª rodada / 46º geral) e John Stallworth (4ª rodada / 82º geral).

Apesar de ter sido escolhido “apenas” na quinta rodada, Mike não demorou muito para se adaptar ao jogo da NFL. Durante dois anos, ele dividiu os snaps como center com o veterano Ray Mansfield, ao mesmo tempo que prestava serviços como guard e no special team. Foi no último jogo da temporada de 1975 que Webster começou uma sequência de jogos consecutivos como titular que só se encerrou em 1986, quando ele perdeu os primeiros quatro jogos com uma lesão no cotovelo. Mesmo assim, Mike foi o jogador que jogou mais temporadas e mais jogos na história do Steelers. Ao todo, foram 15 temporadas e 220 jogos em preto e amarelo.

Webster, nascido no dia 18 de Março de 1952, em Tomahawk, Wisconsin, também foi capitão do ataque durante nove temporadas, e era considerado o jogador mais forte do time, fato reforçado quando ele ganhou a competição Ironman em 1980.

Além do histórico Draft de 1974, esse também foi o ano que o Steelers ganhou seu primeiro Super Bowl, e como não poderia ser diferente, Webster estava lá. Obviamente, também estava nas outras três vitórias do time em Super Bowls da década de 70, além de jogar outras duas finais da AFC.

Após a temporada de 1988, Webster se tornou free agent e acabou se mudando para Kansas City, para se juntar ao Chiefs, como treinador da linha ofensiva. Passado algumas semanas, ele assumiu seu lugar no centro da linha de scrimmage e começou todos os jogos da temporada 1989. Contando os anos no Estado do Missouri, Webster totalizou 17 temporadas e 245 jogos, se aposentando em 1990. O Steelers não demorou muito e tirou o número 52 de circulação, sendo Mike Webster o último jogador da história do time a usá-lo.

Infelizmente, nem tudo são flores, e apesar da nossa série tratar mais das carreiras dos jogadores que escrevemos aqui, muitas lembranças de Webster são associadas aos fatos ocorridos após sua aposentadoria, quando o jogador passou a sofrer com doenças cerebrais e suas consequências. Além disso, passou a sofrer constantes dores musculares e nos ossos. A situação de Mike só foi piorando, a ponto dele viver em sua camionete ou em estações de trens entre Wisconsin e Pittsburgh.

Pouco tempo antes de sua morte, Webster passou a viver com seu filho mais novo, Garret, ainda adolescente na época, que ajudava a tratar das doenças que maltratavam seu pai. Pamela, esposa de Mike, se divorciou do nosso ídolo seis meses antes dele falecer em Pittsburgh, em decorrência de um ataque cardíaco, no dia 24 de Setembro de 2002. Mike tinha apenas 50 anos.

O nome de Mike Webster voltou a ser notícia em 2015, com o lançamento do filme Concussion (Um Homem Entre Gigantes), com Will Smith e Alec Baldwin. O filme trata da luta do médico nigeriano, Dr. Bennet Omalu, para provar que sua descoberta, uma doença chamada Traumatismo Crânio-Encefálico (TCE) tem causado transtornos cerebrais em ex-jogadores da NFL. A morte de Mike Webster é o início dessa luta que persiste até os dias de hoje.

A história do filme, da doença e do sofrimento das famílias e amigos de ex-jogadores que sofreram ou sofrem da doença é um assunto que tem sido bastante abordado nos últimos anos, e não é esse o legado que Mike Webster merece.

Voltando para o que realmente importa, o real legado que Mike Webster deixou na liga vem de suas atuações, de sua liderança e de toda sua entrega para o time e para o esporte. Isso tudo acarretou em nove seleções para o Pro-Bowl, foi nove vezes All-Pro, faz parte do time ideal da história do Steelers, e é parte dos times da década de 70 e 80 da NFL. Em 1997 Mike Webster entrou para o Hall da Fama da NFL.

Quem o viu jogar, sabe com mais clareza o que ele representou e representa até os dias de hoje, principalmente para a torcida, para a família Rooney e toda a organização do Steelers, que sempre será eternamente grata a ele.

Quem vestiu a #52 antes de Mike Webster?

  • Jim O’Shea (71);
  • Sid Williamson (69);
  • Mike Connelly (63);
  • Gene Breen (65)
  • Jack Klotz (59);
  • George Tarasovic (57-58);
  • Charles Lattimer (54);
  • Ray Graves (43).