Como diria Roberto Carlos… “Eu voltei agora pra ficar, porque aqui, aqui é meu lugar, eu voltei pras coisas que eu deixei, eu voltei”

O Rams está mais do que oficialmente de volta ao lugar de onde nunca deveria ter saído (sem ofensas à cidade de St. Louis e admiradores da mesma). Los Angeles voltou a ser palco de um jogo oficial da NFL, fato que não ocorria desde o dia 24 de Dezembro de 1994, na derrota do então Los Angeles Raiders para o Kansas City Chiefs por 19 a 9. Naquela temporada, o Rams jogava mais especificamente em Anaheim, região sul de LA. O time também encerrou a temporada jogando em casa, porém perdeu para o Washington Redskins por 24 a 21.

Resumindo, em 1994 a Cidade dos Anjos tinha duas equipes na NFL, no ano seguinte nenhuma. Um grande baque para a segunda maior cidade dos EUA. O Raiders foi para Oakland, de onde ainda tenta sair, e o Rams jogou até 2015 em St. Louis, de onde conseguiu sair.

Mas por que Los Angeles é a casa do Rams e não do Raiders?

Simples, a história do Raiders em Los Angeles foi relativamente curta. Apenas 12 anos. O time antes disso já jogava em Oakland, foi para LA e retornou para a Bay Area em 1995. O Rams, por outro lado, nasceu em Cleveland, ficou lá por 10 anos e se mudou para LA em 1946, onde ficou até o fim da temporada de 1994. Então, esses 49 anos jogando no segundo maior mercado dos EUA criaram uma grande identidade entre o time e a torcida.

Muito bem, o time querido da cidade está de volta. Los Angeles é uma cidade da NFL novamente, única major league que faltava. Mas por que só agora outro texto sobre isso, sendo que já sabíamos a quase um ano desse retorno?

Simples, tudo que aconteceu durante a offseason e pré-temporada (apesar dos 90 mil torcedores no Los Angeles Memorial Coliseum na semana 1 contra o Dallas Cowboys) não caracterizam uma volta oficial. O que realmente importa é um jogo de temporada regular. E ele aconteceu no último domingo, 18 de Setembro de 2016. E nada melhor que retornar para casa com uma vitória, ainda mais sobre um rival de divisão.

O clima já era de festa muito antes da partida, os fãs celebravam do lado de fora do estádio e em diversos pontos de encontro na cidade. A banda californiana de rock Red Hot Chilli Peppers mandava ver num show de abertura, outras performances artísticas agitavam a grande multidão presente no estádio.

Banda Red Hot Chilli Peppers tocando antes do jogo
Banda Red Hot Chilli Peppers tocando antes do jogo

Com esse grande ambiente em LA, quem não se divertiu foi o Seattle Seahawks, que sofreu a derrota jogando diante de mais de 91 mil torcedores que morriam de saudade do Rams. Num jogo truncado, marcado por pouca (nenhuma) eficiência dos ataques, e terminando 9 a 3 para os donos da casa, foi a defesa,que deu o golpe final no time de Seattle. Numa terceira descida na linha de 35 jardas do Rams e com 57 segundos restando para o fim da partida, o Seahawks precisava anotar um TD para virar o jogo e frustrar a festa em Los Angeles, porém o jovem linebacker Alec Ogletree conseguiu tirar a bola das mãos do running back Christine Michael e ainda recuperou o fumble forçado para selar o triunfo.

O sentimento em Los Angeles é maravilhoso, a cidade volta a assistir uma vitória de seu novo-velho time, que não ocorria desde o dia 6 de Novembro de 1994, contra o Denver Broncos (27×21), a torcida está animada, muito mais por ter o amado Rams de volta à cidade do que pelas pretensões do time na temporada, afinal de contas, foram 22 anos sem o azul e amarelo na cidade.

O próximo passo é o time marcar um touchdown em casa (e na temporada), já que no primeiro jogo a equipe sequer pontuou, perdendo para o também rival de divisão San Francisco 49ers por doloridos 28 a 0. De qualquer maneira, o primeiro grito dos angelenos era o da vitória, e ele veio de maneira inversamente proporcional ao número de pontos da partida.

Após 22 anos de espera, Los Angeles recebeu o Rams de braços abertos, com portas escancaradas, com um sorriso no rosto como se fosse um cãozinho esperando seu dono voltar para casa. Ficar duas décadas sem seu time com certeza foi dolorido para os cidadãos da cidade, mas o pior já passou, um novo capítulo começou e esse laço tem tudo para ser definitivo. Com uma nova casa sendo construída em Inglewood, com inauguração prevista para 2019, um Super Bowl a ser sediado (no dia 7 de Fevereiro de 2021), podemos dizer que o Rams definitivamente voltou, agora pra ficar.