Nesta semana a diretoria anunciou a renovação do guard David DeCastro. Um contrato elevado, devido a inflação puxada nas últimas edições da free agency. Mas nós não podemos discutir a importância do mesmo para a montagem de uma linha sólida e respeitada como a que temos formado nos últimos anos.

Mas além de DeCastro, o Steelers terá que revisar suas finanças e renovar com outro jogador que tem contribuído e muito para este ataque competitivo, o nome da fera Le’Veon Bell.

Draftado em 2013, Bell se tornará free agent na próxima temporada. E se ele for para o mercado conseguirá um ótimo contrato. Quem sabe poderá tornar-se o jogador mais bem pago de sua posição.

Pensando nisso, creio que Kevin Colbert, nosso GM, deve acertar esta renovação ainda no começo desta temporada. Sabemos que existem alguns membros do corpo administrativo das operações de futebol que gostariam que a situação de Bell fosse avaliada com cuidado devido aos problemas recorrentes com substâncias proibidas pala NFL.

Bell em campo

Bell foi escolhido na 48ª pick em 2013. Era tido como um bom prospecto, porém havia muita desconfiança devido sua briga com a balança e problemas com agilidade. Outro fator que era discutido na época eram as dificuldades técnicas das linhas ofensivas da conferência, isso colocava em dúvida sua produção. Nomes como Montee Ball e Mike Gisllislee eram colocados acima dele.

Mas o Steelers apostou, e apostou certo. Hoje, ele é um dos principais nomes do ataque e um dos símbolos de nossa franquia nos próximos anos.

Desde que chegou em 2013, conviveu com lesões e suspensões. Porém, quando está em campo tem mostrado muita qualidade, agilidade e versatilidade. É uma válvula de escape para Big Ben e um alvo seguro para passe.

Suas estatísticas são muito boas. Correndo com a bola ele realizou 35 partidas, 2777 jardas, 647 carregadas, 19 touchdowns e 4.3 de jardas por tentativa. Números muito bons e consistentes para um jogador considerado por especialistas o melhor running back em atividade.

Já como alvo alcançou 1389 jardas em 152 recepções com 3 touchdowns. Seu melhor ano foi em 2014, quando foi nomeado ao Pro Bowl. Naquele ano foram 1361 jardas corridas, 8 touchdowns em 290 tentativas. Neste ano, ele também foi muito importante para Roethlisberger quando foi target para 83 recepções que deram origem a 854 jardas com 3 TDs.

Quais fatores podem influenciar negativamente os termos de renovação?

Aqui nós podemos apontar dois pontos: suspensões e lesões. Não creio que Bell seja um jogador propenso a lesões. Analisando os lances podemos ver que que todos foram fatalidades. As lesões de Bell durante sua campanha no Steelers foram problemas no pé e ligamentos do joelho.

Durante estas contusões, foi efetuada apenas uma cirurgia. Este procedimento foi realizado no MCL, um ligamento do joelho, no final de 2015.

Mas o que realmente preocupa os mais conservadores no meu modo de ver, são os incidentes recorrentes com suspensões. Entre 2015 e 2016, Bell terá somado sete partidas perdidas. Inclusive em 2014, ele teve sua licença de motorista suspensa devido sua prisão por porte de maconha.

A renovação sairá, mas vejo que aqui pode ser o empecilho para bônus de assinatura e valor garantido. Outro fator não mencionado que pode influenciar estes termos, é a política interna do Pittsburgh Steelers. Que não tem costume de garantir altas porcentagens de valor garantido ou valores consideráveis de bônus.

Podemos notar esta filosofia em todos os 10 maiores contratos da franquia que tem como intervalo uma variação de 25% a 29% em valores garantidos. A única exceção a esta política foi Ben Roethliesberger, que tem um garantido superior em 35%.

Contratos que podem ser levados em conta

Sei que os jogadores citados, possuem qualidade inferior ao Bell. Mas as situações para assinatura de contrato são semelhantes. Outra coisa que vamos considerar aqui, é que são acordos fechados na última janela de free agency.  Os contratos analisados são de Lamar Miller e de Doug Martin:

Lamar Miller (Texans)

  • Ano no qual o contrato foi assinado: 2016
  • Idade na qual assinou o contrato: 25 anos
  • Duração do Contrato: 4 anos
  • Salário Base: $ 6,5 milhões
  • Garantido: $ 14 Milhões (54,85%)
  • Total: $ 26 Milhões

Doug Martin (Buccaneers)

  • Ano no qual o contrato foi assinado: 2016
  • Idade na qual assinou o contrato: 27 anos
  • Duração do Contrato: 5 anos
  • Salário Base: $ 7,1 milhões
  • Garantido: $ 15 Milhões (41,96%)
  • Total: $ 35,7 Milhões

Estimativa de contrato de Le’veon Bell

  • Ano no qual o contrato foi assinado: 2016
  • Idade na qual assinou o contrato: 24 anos
  • Duração do Contrato: 5 anos
  • Salário Base: $ 7,5 milhões
  • Garantido: $ 11,25 Milhões (30,0%)
  • Total: $ 37,5 Milhões