Entrevista Nick Underhill (@nick_underhill), colunista do Jornal The Advocate, de New Orleans. Entrevista Realizada no dia 27/01/2017.

Foto: Cox Sports TV

Fala galera, a equipe Geaux Saints (@geauxsaintsBR), buscando diversificar seu conteúdo, procuramos criar também conteúdo em texto, e assim como forma de iniciar este conteúdo fomos atrás dos principais insiders do Saints para ouví-los. Desta forma, conseguimos com exclusividade entrevistar por e-mail, importantes nomes como Nick Underhill (The Advocate), John Sigler (Canal St Chronicles) e John Hendrix (Canal St Chronicles), fazendo as mesmas perguntas, com o intuito de entender a visão de cada um sobre a atual situação do Saints. A partir de hoje, publicaremos pelas próximas semanas o resultado dessas três entrevistas, começando por Nick Underhill (@Nick_Underhill), Colunista do Jornal The Advocate.

Relação com a franquia

Iniciamos a entrevista buscando entender mais a ligação de Nick Underhill com a franquia, se havia uma torcida antiga, ou se era apenas um repórter fazendo o seu trabalho. Ele explicou que é natural da Pensilvânia, e por isso não haviam maiores ligações com os Saints, explicando ainda que iniciou sua vida no esporte cobrindo o New England Patriots e que veio de Boston para New Orleans, para fazer a cobertura do Saints para o Jornal. Ainda sem entrar em assuntos relacionados mais diretamente ao time, expomos uma sensação nossa, assistindo pela TV, de que a torcida do Saints não parecia estar tão participativa como antigamente e um tanto quanto calada durante os jogos. Ele acredita que a torcida se manteve bem, porém ver o time perder e ceder ‘big plays’ tira a empolgação de qualquer torcida, além do fato de ser a terceira temporada seguida com o recorde de 7-9.

O time

Começando a tratar diretamente sobre o time em si, e o assunto não poderia ser outro que não fosse a defesa. Foi perceptível para gente que houve alguma evolução, porém continuou apresentando muitas deficiências na temporada passada, principalmente pelos fracos corpos de cornerbacks, que foi devastado por SEIS lesões, e linebackers. Nick concordou com a nossa avaliação, acrescentando que apesar de não ser tão clara essa melhora nas estatísticas, a defesa não foi batida da mesma forma que em 2015. Não foram vistas as mesmas falhas de marcação e jogadores cometendo muitos erros de leitura, mas as várias lesões na secundária e o corpo de linebackers não ter saído como planejado, colocou jogadores sem talento suficiente para ocuparem essas posições como titulares. Para exemplificar, Underhill utilizar o caso do Craig Robertson, que apesar de uma temporada ‘OK’, ele foi contratado para ser a rotação e foi titular em quase todos snaps. Ele acredita que os nossos corners se mantendo saudáveis e adicionando mais talento nas posições de middle linebacker, cornerback e no pass rush, o time tende a crescer bastante. Ele ainda diz, que apesar de parecer muito a se fazer, o Saints terá uma boa grana para gastar nessa Offseason.

Passando para o ataque, surgiu uma preocupação, já que em alguns jogos a defesa deu condições, mas o ataque não conseguiu produzir o suficiente para vencê-los, principalmente contra Lions em casa e Giants e Bucs fora. Underhill disse que no ataque não deve mudar muito, se mantendo na West Coast Offense, porém se houverem mudanças, serão no sentido de dar mais equilíbrio entre o jogo corrido e o jogo de passe, já que um ataque corre bem, ajuda até a defesa. Porém ele salientou que o ataque tem ser efetivo e que não basta correr muito, tem que correr bem.

Geaux Saints Awards

Para fechar a análise de 2016, pedimos para que Nick Underhill participasse do Geaux Saints awards, definindo jogadores para as categorias de MVP, Offensive Player of the Year (OPOY), Defensive Player of the Year (DPOY), Rookie of The Year (ROY), Surpresa do Ano e Decepção do Ano:
– MVP: “Eu tenho que dar este para o Drew Brees. Ele não foi perfeito, e houveram algumas derrotas que podemos colocar na conta dele, porém ele ainda é o melhor jogador do time.”
– OPOY: “Eu não quero me repetir, então eu vou com Michael Thomas. Ele foi incrível essa temporada.”
– DPOY: “Eu penso que o Cam Jordan teve sua melhor temporada carreira e foi facilmente o melhor jogador neste defesa. Nick Fairley seria minha outra escolha.”
– ROY: “Mike thomas mais uma vez. Ele quebrou uma tonelada de recordes e provavelmente entraria para o Pro Bowl como um substituto.” (a entrevista foi feita antes do Pro Bowl)
– Surpresa do Ano: “Wil Lutz. Ele começou vacilante e veio do nada, e garantiu sua posição. Gosto de onde ele pode chegar.”
– Decepção do Ano: “Stephone Anthony. Eu não acho que o ano de calouro dele foi tão bom como muitos afirmaram, porém não acredito que ele esteja completamente descartado.”

Temporada  2017

Começando a falar da temporada de 2017, dissemos a ele que acreditamos que as maiores deficiências de nosso elenco, são na seguinte ordem, Linebackers, Pass rusher (nossa DL teve uma melhora acentuada em relação as últimas temporadas, porém acreditamos que uma ajuda ao Cam Jordan poderia transformá-la em algo espetacular), Cornerbacks e Guard. O Nick concordou com essas escolhas, entretanto nos disse que adicionar um Middle Linebacker seria importantíssimo para melhorar a nossa defesa, e que o time necessita de um pass rusher urgentemente. Na posição de Guard ele vê um problema, já que a situação contratual do Jahri Evans está muito próximo do fim da carreira, e que existe uma necessidade óbvia em aumentar a profundidade do grupo de Cornerbacks.

Ao questionarmos sobre Free Agency e Draft, pedimos que o Nick nos indicasse as três primeiras escolhas no recrutamento, porém ele preferiu não fazê-las pois acredita que fica complicado fazer qualquer prognóstico antes da Free Agency, visto que, não sabemos quais buracos serão preenchidos, já que os clubes podem renovar com seus atletas e não há como saber quem chegará ao mercado. Mas ele deseja a contratação de um Cornerback experiente, visto que a transição para corners calouros pode ser um tanto quanto devagar.

Para finalizar, perguntamos se 2017 será o último ano da reconstrução do Saints, e ele afirmou que: “Se eles fizerem os movimentos certos, e acertar nos Free Agents e nas escolhas de drafts, pode ser. O time está perto de voltar aos playoffs.”