Depois de uma infinidade de tempo, muitos de nós iremos presenciar pela primeira vez em nossas vidas (de maneira ao vivo) o Raiders jogando uma partida de pós-temporada. Em 2002 o futebol americano e consequentemente a NFL eram pouco falados no Brasil, poucos seguiam o esporte e a liga. Na última vez em que o Raiders foi aos playoffs, o time chegou ao Super Bowl XXXVII, perdendo para o Tampa Bay Buccaneers e sua monstruosa defesa.

Confesso que este que vos escreve ainda era um pirralho muito mais preocupado em como iria fazer para passar de ano na 7ª série do que descobrir novos esportes. Tudo era futebol, futebol e futebol, mas obviamente muitos outros, mais velhos ou não, já acompanhavam o esporte e até podem contar como foi ver o Raiders jogando uma partida de pós-temporada.

Como era o mundo?

São 14 temporadas, contando a atual, e após a apertada vitória no último domingo diante do rival de divisão San Diego Chargers, o Oakland Raiders precisou correr atrás de um novo passaporte e visto para os playoffs, que já deviam estar vencidos. Carimbo garantido e ambição ainda maior, assim como na última vez, o time quer chegar ao Super Bowl, está apenas 1 jogo atrás do Patriots e ainda sonha com a primeira posição geral da AFC e o merecido descanso na rodada de Wild Card.

Assim como no texto que escrevi sobre o Bills (que dificilmente estará na pós-temporada de 2016), citando como estava o mundo naquela época, tento listar algumas coisas que ocorriam em 2002, quando o Raiders figuravam entre os primeiros. Vamos lá:

  • A banda canadense Nickelback lançava o hit How You Remind Me, que viralizou no mundo todo e alcançou o topo das paradas musicais;
  • Era lançado o filme “O Senhor dos Anéis – As Duas Torres”
  • O irmão mais velho do atual QB do Raiders Derek Carr, David Carr era selecionado na 1ª escolha geral do Draft daquele ano pelo Houston Texans…
  • … Que também era a mais nova franquia a entrar para a NFL, fazendo a liga realizar seu mais recente realinhamento de divisões;
  • Kelly Clarkson ganhava a primeira temporada do programa American Idol;
  • Os times do Montreal Expos (MLB) e Seattle SuperSonics (NBA) ainda existiam…
  • … O Washington Nationals (MLB) e Oklahoma City Thunder (NBA), por outro lado, ainda não;
  • Em 2002, o cinema tinha visto apenas 7 filmes baseados nos heróis da Marvel, alguns não lançados, e o de maior sucesso sendo o primeiro X-Men, lançado em 2000. Após o Raiders perder o Super Bowl XXXVII para o Tampa Bay Buccaneers, foram lançados 39 filmes.

Muito tempo depois…

Enfim, muito tempo se passou, e o Raiders comeu muita poeira dos adversários. Quem começou a acompanhar a NFL após 2002 conhece o Raiders como um dos grandes sacos de pancadas da liga, afinal os números falam por si só: de 2003 a 2015 foram apenas 63 vitórias e 145 derrotas. Horrível para uma equipe que conquistou o Super Bowl três vezes. Dessas o time conseguiu um duplo 8-8 nas temporadas 2010 e 2011, continuando longe da pós-temporada. De resto, sequer bateram na trave: dos 13 anos, em 7 o time teve 4 vitórias ou menos. De fato era difícil torcer para o Raiders nesse período, saúdo os bravos guerreiros que sofreram nesse período e hoje comemoram a volta do time à jogos em janeiro.

Mas por que após tantos anos ruins, “de repente” o time já sonha com a 1ª posição da AFC?

O trabalho, por mais que não pareça, é gradativo, e uma hora o resultado vem, e às vezes já chega chegando. Após 14 jogos disputados, o Raiders soma 11 vitórias, isso tudo em uma temporada onde os bastidores da equipe foram muito agitados, com as votações para mudanças de cidade e a intenção do time de sair de Oakland. Muitos acharam que essa distração faria o time penar mais uma vez na temporada e amargar mais um ano longe dos líderes.

Pilares da franquia

Como disse anteriormente, o trabalho é gradual, e muito do sucesso dos times passam diretamente pelos sucessos em Drafts sucessivos, e foi exatamente aí que Oakland acertou. O time conseguiu recrutar peças importantes para seu elenco, principalmente no Draft de 2014, como o LB Khalil Mack, QB Derek Carr e RG Gabe Jackson, escolhidos nas três primeiras rodadas, respectivamente. Hoje são três titulares absolutos na equipe.

Mas o time ainda precisava de mais peças para ajudar esses três novos jogadores. Derek Carr, um jovem promissor (agora já é uma realidade e discutivelmente o melhor QB entre os jovens da liga) precisava de proteção, e seu running back, Latavius Murray (6ª rodada de 2013) precisava de reforço nos bloqueios para conseguir melhorar sua eficiência nas corridas, e já que não foi possível construir todo o time via Draft, a OL foi reforçada através da free agency, ganhando alguns bons nomes, principalmente com o LG Kelechi Osemele, que recebeu um contrato que dividiu opiniões na liga.

Além de proteção, o time precisava de alvos, e em 2015 buscou o WR Amari Cooper (1ª rodada) e o TE Clive Walford (3ª rodada), além de levar para o outro lado da Bay Area o WR Michael Crabtree, que estava com o San Francisco 49ers. Ofensivamente o time se tornou poderoso, e podemos dizer que é aqui que está muito do mérito alcançado em 2016 pelo Raiders.

Defendendo o progresso

Pelo lado defensivo, o time tem seus talentos, é verdade, mas ainda sofre um pouco e acaba dependendo da eficiência de Carr e cia para vencer jogos. Hoje o time conta com quatro titulares que foram draftados por Oakland. Além do já citado Khalil Mack, o time tem como titular o DT Stacy McGee (6ª rodada de 2013) e dois novatos, o DE Jihad Ward (2ª rodada) e o safety Karl Joseph (1ª rodada), pick que o time não pensou duas vezes em realizar visto a grande necessidade de substituir um buraco importante deixado por um de seus grandes ídolos, Charles Woodson, que se aposentou após a temporada 2015.

Além desses jogadores, o time trouxe outros talentos pela Free Agency, como o linebacker Bruce Irvin, chegando para essa temporada. Hoje a defesa figura na 30ª posição em jardas cedidas e 21ª em pontos cedidos. Em sacks o time é apenas o 27º colocado, com 25, sendo 11 através de Khalil Mack.

Obviamente esse “desequilíbrio” não tira o mérito do time como um todo e principalmente do front office liderado pelo head coach Jack Del Rio, que vem fazendo um bom trabalho nessas duas temporadas. Com um elenco jovem, o Raiders não espera que essa temporada seja um ponto fora da curva e que o time enfrente uma nova seca, pelo talento empregado em campo, pelos bons drafts, o time tem os ingredientes perfeitos para ter um longo período entre os líderes, mas a manutenção dessas engrenagens também será fundamental para isso.

O time voltou aos playoffs merecidamente, e não dá pinta de que irá entregar essa posição de destaque tão facilmente. Parabéns ao Oakland Raiders e agora é aguardar os próximos capítulos.