O dia era 8 de Janeiro de 2000. O Buffalo Bills perdia o jogo de wild card da AFC para o Tennessee Titans por 22 a 16. O Bug do milênio era o assunto que dominava o mundo em 1999 e Bills ainda era um time que figurava – mesmo que de vez em quando – entre os líderes.

Pois bem, já superamos o bug do milênio, e o Bills…”FATAL ERROR”. Desde os playoffs da temporada 1999, o Bills nunca mais deu o ar de sua graça num jogo de pós-temporada. Já se foram 16 anos e naquela época o mundo era bem diferente do que vemos hoje.

Alguns exemplos:

  • O celular mais vendido no mundo era o Nokia 3210. Pokemon GO nem pensar, naquela época o Game Boy era um sucesso e as versões Red e Blue eram as versões mais recentes;
  • A população mundial atingia 6 bilhões de pessoas. Hoje já somos mais de sete;
  • Rede social? Isso era utopia em 1999;
  • A União Europeia introduzia o Euro. Moeda entrou em circulação em 11 países, depois se expandiu;
  • Napster era o programa de música mais popular do mundo;
  • Filmes como O Sexto Sentido, Toy Story 2 e Matrix eram os sucessos da época;
  • O salário mínimo no Brasil era de R$ 136,00;
  • O Boston Red Sox (MLB) vivia um jejum de 82 anos sem ganhar a World Series. Ganhou em 2004;
  • Lance Armstrong ganhava seu primeiro título do Tour de France;
  • O Papa era João Paulo II. Depois tivemos Bento XVI e Francisco;
  • Fundado em 1998, o Google ainda estava buscando seu espaço na internet. Quem já fez pesquisa pelo “Cadê”?
  • Bill Clinton era o presidente dos EUA e Fernando Henrique Cardoso do Brasil.

POSTNa NFL, o St. Louis Rams estava rumando para o que viria a ser conhecido como “The Greatest Show on Turf”, com Kurt Warner, Marshall Faulk e cia. O melhor time da temporada regular foi o Jacksonville Jaguars, com uma campanha 14-2. Outros times que não costumamos ver em playoffs também figuravam entre os líderes na época, tais como: Tampa Bay Buccaneers, Tennessee Titans e Miami Dolphins, além do próprio Buffalo Bills. O Seattle Seahawks ainda jogava pela conferência AFC e o Houston Texans não existia.

Apesar de ser o time que a mais tempo está longe dos playoffs na NFL, nem todas as temporadas foram terríveis para o Bills. Nesses 16 anos, o time teve cinco temporadas com oito ou nove vitórias (incluindo as duas últimas), e tem uma média de sete vitórias e nove derrotas se juntarmos todas as temporadas longe da pós-temporada.

Então, quando finalmente o Bills vai se curar desse Bug que parou o time nesse milênio?

Já foram oito técnicos e 16 quarterbacks diferentes a serem titulares por pelo menos um jogo desde 2000. Um time competitivo precisa de estabilidade, principalmente na gestão e liderança dento de campo. O time está fortalecido, a OL tem bons nomes e pode ser mais eficiente, o QB Tyrod Taylor surpreendeu em seu primeiro ano como titular, o RB LeSean McCoy, além de carregar a bola pode contribuir com a liderança que o time precisa e o wide receiver Sammy Watkins precisa se manter saudável.

Pelo lado defensivo, em 2015 o time contratou o Head Coach Rex Ryan, que chegou para manter o alto nível da defesa, que foi top 5 em 2014. O que vimos, no entanto, foi muita instabilidade e uma queda de performance assustadora. O time fez a transição para o esquema 3-4 (com três jogadores na linha e quatro linebackers) e espera-se uma melhora notável. Mesmo em seu segundo ano, Rex Ryan já está na corda bamba, e se o Bills não avançar para os playoffs nessa temporada, dificilmente o técnico voltará para 2017.