O ano novo da NFL está próximo de começar e as franquias já se articulam nos bastidores para reforçar os seus elencos para mais uma temporada. O Washington Redskins já acertou a troca com o Kansas City Chiefs pelo quarterback Alex Smith, mas até o dia 14 de março muito ainda pode acontecer. A franquia da capital americana pode entrar em acordo com o Pittsburgh Steelers por um jogador que deve ser muito disputado nesta offseason, estamos falando de Martavis Bryant.

Entre todos os problemas que o Redskins teve durante a temporada de 2017, o que mais chamou a atenção foi a dificuldade que Kirk Cousins teve de gerar química com seus wide receivers. Se levarmos em conta a temporada anterior, os números fatalmente mostrarão esta queda de rendimento.

Vindo de uma temporada com dois recebedores passando das mil jardas recebidas, a franquia da capital americana sequer teve um jogador com 800 jardas recebidas na temporada de 2017. A grande aposta adquirida na free agency, Terrelle Pryorteve problemas para se adaptar ao time. O recebedor vinha de uma excelente temporada em Cleveland, mas acabou sendo titular em apenas duas partidas. Nas suas nove participações com a camisa Bordô e dourada, acumulou frustrantes 240 jardas recebidas, com um aproveitamento de recepções de 54.1%, de acordo com o Pro Football Reference.

Como a aposta em Pryor não deu certo, o head coach Jay Gruden buscou mudanças na equipe. Promoveu o Josh Doctson a principal recebedor da franquia e deu mais espaço para Ryan Grant, que já clamava por mais oportunidades há um bom tempo. Jamison Crowder, que, em tese, seria um dos jogadores mais importantes do ataque em 2017, acabou sentindo o peso da responsabilidade de ser o recebedor de confiança do Cousins. Durante a primeira metade do ano foi uma decepção, embora tenha melhorado na reta final de tal forma que terminou o ano como líder de jardas recebidas dentro do grupo de wide receivers dos Redskins com 789.

Vale lembrar que Maurice Harris, Brian Quick e Robert Davis também fizeram parte do grupo de recebedores dos Redskins na última temporada. Porém, para este artigo, seus números serão desconsiderados, devido à pouca participação na temporada, seja por lesões ou escolhas técnicas.

Por que então faria sentido para o Washington Redskins uma trade pelo Martavis Bryant?

A grande virtude do Martavis Bryant é justamente ter sido um wide receiver por toda sua carreira tanto em Clemson na NCAA como no Steelers na NFL. A aposta dos Redskins para 2017, Terrelle Pryor, tinha o problema de ter que se adequar à posição, que não era a sua de origem.

Martavis Bryant dentro de campo seria uma excelente arma para Alex Smith. Ele tem a capacidade de ser a ameaça que tínhamos com DeSean Jackson nas bolas longas, alem do que é inegável que Martavis almeja essa oportunidade de ser o WR1 de uma franquia na NFL.

Martavis Bryant, wide receiver do Pittsburgh Steelers

Em 2017, tendo sido titular em apenas oito partidas, o wide receiver conseguiu bons números pelos Steelers. Vale lembrar que, em alguns momentos da temporada, ele chegou a ser o terceiro recebedor da franquia, após perder espaço para o rookie Juju Smith-Schuster.

Abaixo, temos uma tabela que mostra alguns números de Martavis Bryant na última temporada, em comparação com os quatro principais recebedores dos Redskins¹:

Jogos Jogos como titular Alvos Recepções Jardas Jardas por recepção % de recepções Touchdowns recebidos
Martavis Bryant 15 8 84 50 603 12.1 59.5 3
Josh Doctson 16 14 78 35 502 14.3 44.9 6
Jamison Crowder 15 6 103 66 789 12.0 64.1 3
Ryan Grant 16 7 65 45 573 12.7 69.2 4
Terrelle Pryor 9 2 37 20 240 12.0 54.1 1

 

Ao analisarmos puramente os números, alguém poderá questionar se realmente vale a pena apostar no Martavis Bryant. Caso a pergunta seja feita, antecipo a resposta: Sim, vale.

Bryant joga em um ataque muito poderoso. Além de Antonio Brown, que é indiscutivelmente o alvo principal de Ben Roethlisberger, os Steelers ainda têm o running back Le’Veon Bell e o promissor Juju Smith-Schuster.

Desta forma, os números do Martavis Bryant sofrem uma redução. No entanto, mostram um recebedor capaz de produzir, mesmo sendo titular em metade dos jogos da temporada. No Redskins, Bryant provavelmente chegaria com a responsabilidade de se transformar em um líder para um grupo de recebedores que necessita de um atleta com mais experiência.  Não só isto, mas que também ajude a abrir espaços no meio da secundária adversária.

Até onde o Washington Redskins deve ir para ter o Martavis Bryant?

Como disse anteriormente, é necessário cautela na hora de negociar, antes de qualquer coisa. A franquia da Pensilvânia poderia ter trocado o atleta na trade deadline da temporada passada, como bem destacou JP Finlay da NBC Washington, em seu texto sobre o assunto. Naquela oportunidade, não faria sentido para os Redskins adquirir o atleta, visto que as lesões já haviam dizimado as chances da franquia ir para os playoffs. No entanto, nesta offseason, o Steelers parece estar mais aberto a essa possibilidade de trocar o jogador, mas obviamente apenas se algo vantajoso for oferecido a eles.

Os rumores dão conta que algumas franquias têm um forte interesse em negociar com o Steelers para ter o Martavis Bryant. Franquias como New York Jets, Buffalo Bills, Miami Dolphins e o Washington Redskins já teriam entrado em contato para saber as possibilidades.

O grande trunfo dos Redskins nesta disputa pode ser Su’a Cravens. O linebacker/safety gerou olhares de desconfiança na capital americana com sua atitude de abandonar a franquia nas vésperas do início da última temporada. Com isso, é possível que seja usado como moeda de troca em uma possível negociação.

O Washington Redskins deve usar escolhas do Draft para adquirir o Martavis Bryant?

Esta é uma questão difícil. Bruce Allen tem optado geralmente pela pior escolha durante seus anos com os Redskins. Para este que vos escreve, a resposta imediata seria: Não, e explico o porquê.

Martavis Bryant certamente colocaria o corpo de recebedores dos Redskins em uma situação melhor. Disso não se pode duvidar, tendo em consideração o que ele vem produzindo em Pittsburgh. Porém, devemos nos lembrar de que apesar da sua qualidade dentro de campo, o atleta já viveu alguns momentos conturbados fora dele.

Em um período de sete meses, entre agosto de 2015 e março de 2016, Bryant foi punido duas vezes por uso de substância proibida pelas regras da NFL. O mesmo recebeu punições severas, na primeira foi suspenso por quatro jogos e na segunda por toda a temporada de 2016. Se levarmos em conta este histórico, aliado a um comportamento turbulento nas redes sociais, fatalmente poderemos estar adquirindo um problema. E pior, o atleta já levou ao conhecimento do grande público aquilo que deveria ter ficado restrito ao vestiário. É verdade que, talvez a única qualidade do Bruce Allen seja a de controlar rapidamente seus subordinados, mas ainda assim, apenas por esta ótica seria comprar um problema. Caso se opte pela sua chegada, é torcer para que ele permaneça como um vulcão adormecido, ou seja, sem gerar problemas para quem está no seu entorno.

Apesar de tudo, o principal fator que devemos analisar é que resta apenas um ano no contrato do Bryant com os Steelers. Com sua chegada, teríamos que renovar seu contrato  imediatamente. Ou então, torcer para que após a temporada de 2018, após bom desempenho e consolidação na NFL, o jogador aliviasse um pouco na pedida salarial. Diante desta incerteza, o Redskins não pode se dar ao luxo de perder outra escolha do draft. A solução seria, então, que os Steelers aceitassem uma troca jogador por jogador, onde mandaríamos Su’a Cravens para Pittsburgh, em troca do wide receiver deles.

Então o que podemos esperar?

O ano de 2018 para a NFL começa em 14 de março, até lá poderemos ter novidades a qualquer momento. A disputa por Martavis Bryant é real e provavelmente acontece enquanto você está lendo este texto.

Na minha opinião, o Redskins deveria ir atrás do jogador, podendo até envolver uma draft pick, desde que fosse, no máximo, de sétima rodada. Desta forma, não atrapalharia a formação do elenco para a próxima temporada, visto que já não teremos a escolha de terceira rodada, que foi enviada para Kansas City na trade pelo Alex Smith.

Com toda certeza, seria muito importante um jogador do calibre do Martavis Bryant. Nosso ataque enfrentará defesas fortes na temporada que está por vir e precisaremos de ajuda em pelo menos outros dois setores. Portanto, adquirir Martavis Bryant seria uma excelente forma de dar o segundo passo, já que o primeiro foi dado com a vinda do Alex Smith.

Acompanhe nosso portal, em breve mais mocks e atualizações do mercado aqui no Redskins Brasil!

#HTTR
#EuSouRedskins

texto por Maiquison Fernandes
revisão por Diogo Miranda

¹ Os números utilizados nesta matéria estão disponíveis no site do Pro Football Reference. Vale salientar que Vernon Davis teve uma temporada com 648 jardas recebidas, mas para efeito de comparação com o Martavis Bryant, preferimos deixar o Vernon Davis de fora por se tratar de um tight end e não de um wide receiver.

DEIXE UMA RESPOSTA