As pessoas já estão pedindo demais Mayfield

Tyrod Taylor

Já esperamos há algum tempo pela volta da temporada, até isso ter acontecido passamos por vários debates, apostas e previsões e perspectivas do que aconteceria em setembro passando por contratações, draft, jogos de pré temporada…criamos uma visão tentando ser analista e tentando descobrir o óbvio ou as surpresas que vá acontecer até que chega a week1 e tudo aquilo que discutimos se resume dentro de campo finalmente. Algumas coisas que previmos pode acontecer ou outras que nos enganamos demais mas é preciso seguir na idéia que a primeira semana de jogos pode ser tão mentirosa quanto absorvemos dela. Pode ser pra ruim ou pra bom mas criamos opiniões que são impostas pra continuação da temporada que mostra que somos apressados demais: por exemplo todos hoje citam Matt Ryan, Stafford e Big Ben como dúvidas de potencial e também a week1 faz com que as preocupações sejam mais visadas e isso é importante como as atuações de Dak e Carr.

E isso pode ter acontecido com Tyrod Taylor e sua atuação vs Steelers, a análise futurista e adiantada, isso é ruim e mostra que não nos acostumamos com a paz e sim ainda estamos “nos borbulhos” da situação de QBs em Cleveland. No calor do jogo temos um olhar que pós jogo temos a frieza que se cria a paciência que é preciso ter, durante o jogo de domingo colocamos de lado toda a situação meteorológica onde chuva forte e vento fez com que pro Taylor ficasse dificultoso e que pra qualquer outro QB e até Mayfield iria sofrer um pouco com a adversidade. Taylor também esteve no seu primeiro jogo com a Jersey do Browns, playbook novo, comando novo, nova OL, RBs e alvos, é possível considerado a ter sido “jogo teste de adaptação”. Taylor mostrou ter segurança da bola havendo poucos perigos de INTs, mostrou ser um ótimo fator no jogo corrido e fora do pocket mas seu potencial foi bem abaixo, demorado a ler jogadas, a acionar os melhores alvos e na precisão de força dos passes.

Parece que perdemos toda a opinião em apenas 75 minutos de jogo, Taylor tem o nosso respeito e merece sim encarar mais desafios, adversidades e demais situações de jogo, ele tem crédito vindo de um playoffs com o Bills. Entendemos todo o hype com Mayfield ainda mais com Allen iniciando o jogo vs Chargers de titular e Darnold indo muito bem no MNF mas deixa cair das mãos seu lado torcedor e olhe para o que estava sendo planejado desde o início pós contratação do Taylor, precisamos seguir e absorver o máximo possível disso até avançar para a era Mayfield em Cleveland.

Questões individuais de alguns jogadores

Todas as dúvidas também na questão individuais de alguns jogadores estarão amostra vs Saints neste domingo: Desmond Harrison permitiu seis pressões, permitiu cinco corridas, um sack e cometeu três penalidades em sua primeira partida na NFL, mas a visão do staff foi a mesma que tem que ser seguida de que foi apenas seu primeiro jogo profissional, a impressão da week1 agora pode ser vista com mentira para bom, já que ira ter toda adaptação aos seus erros para seu segundo jogo mas também pode ter sido a real impressão onde ele mostrou que não está apto a titularidade da posição. Estatísticas são importantes mas para jogadores de OLs precisam de análise mais específica e foi o que eu fiz com ele ouvindo opinião de alguns analistas e eu vendo o tape do jogo inteiro olhando apenas para ele: Todos amamos o quão rápido Harrison move seus pés e como ele está confortável em movê-los. Ele é um atleta natural com o trabalho de pernas de um bom jogador de basquete, instintivamente na ponta dos pés e rápido para mudar seu peso em coordenação com seu corpo, Ele é muito avançado para um novato, mesmo que seja altamente convocado, para permanecer engajado com o defensor quando ele estabelecer contato muito por causa dos seus pés suaves e equilíbrio e quando ele é derrotado, Harrison já exibe uma habilidade atlética excepcional e recursos para permanecer na marcação.

É claro há também suas fraquezas bem expostas no último domingo como a sua  tendência de Harrison a ser lento em sua postura e isso fazer seu disparo ser muito lento, seu preparo físico onde foi bem observado que se cansou demais em alguns drives mas que é entendível por ter perdido os primeiros treinamentos com uma lesão no dedo do pé e não executou um treino completo com o ataque principal até o meio da semana passada além de toda a adaptação do nível que a NFL pede vindo de uma escola D-II, a força física onde se via que ele ainda encontra problemas para dar força necessária no núcleo e ombros em certas jogadas. A primeira impressão não foi tão ruim ao ponto de já não o querer de titular vs Saints.

Outra primeira impressão que não teve paciência foi a de retornos de Punt e Kickoffs, Jabrill Peppers não teve bons ganhos de jardas e principalmente a última onde ele havia um campo bem aberto e preferiu pedir o fair catch foi a gota d’agua

Peppers no momento que pegou a bola e olhou pra frente se desesperou ao ver espaços enormes que poderia ter aproveitado

Olhar para o jogo contra os Saints

Precisamos também já olhar para o jogo vs Saints que já está batendo na nossa porta e todas as impressões vistas na vitória dos Buccs precisam ser absorvidas mas com calma que nada que aconteceu ali pode ser realidade já contra nós:

Primeiramente Alvin Kamara é o nome que mais chama a atenção de problemas a vista, no jogo corrido teve números rasos 8 corridas para 29 jardas mas teve fator na RedZone em curtas corridas então 2TDs creditados, já no jogo aéreo foi o mais acionado abaixo do Michael Thomas com 9 recepções 112 jardas e 1TD, ele é dinâmico, a defesa do Browns teve problemas com Conner na mesma área do Kamara, a duo Kamara-Brees é temida. Ah sobre Brees não há muito a dizer que você ainda não saiba, mas a coisa realmente fascinante a se assistir é a partida de xadrez que ele joga quando chega na linha. Ele conhece bem esse ataque e sabe como colocá-lo no jogo certo na hora certa. Não há muito que ele não tenha visto do outro lado especialmente de Gregg Williams, que foi o coordenador defensivo dos Saints por três temporadas de 2009-11.

“Se você puder disfarçar a cobertura em que está, ficará melhor”, disse Joe Schobert uma visão mais clara que resume o que a situação pede. No jogo de Brees também há a visão para seu confronto vs Myles Garrett, diferente de Ben Roethlisberger ele larga a bola mais rapidamente, gosta de ler o campo com mais rapidez mas isso pode não ser a cartela para que Garrett não o dê um arrepio de estar sendo atacado por ele, na week1 apenas um sack foi feito abaixo de 2 segundos e foi de quem? Garrett conseguiu chegar em Big Ben usando apenas 1,97 segundos, ele conseguindo alguns momentos de complicação para Brees já será importantíssimo.

Os Browns olham para outras adversidades ou individuais que serão essenciais para tentar a vitória, Denzel Ward reencontrando seu companheiro de Ohio State Michael Thomas será a principal 1vs1 do jogo aéreo, Thomas foi acionado 17 vezes no último domingo recebendo 16 passes para 180 jardas e 1TD, Ward teve uma grande atuação na sua estréia na liga sendo nomeado Calouro Defensivo da Semana tendo por várias vezes marcação individual vs Antonio Brown onde foi muito bem (TD do Brown aconteceu ainda com uma boa marcação de Ward sem perder pro tamanho nem pra velocidade ou nas mãos).

Cameron Jordan é o nome da vez para ser referência na DL adversária, Saints sabem do que TJ Watt conseguiu, sabe que 7 sacks foram achados e também que Tyrod tem culpa também desse alto número por ser um QB que segura mais a bola, estende jogadas. Os Browns terão a oportunidade de levar suas melhores armas ofensivas nesta semana, agora que estarão fora da chuva e do vento que não ajudaram em nada na 1ª semana no Estádio FirstEnergy, esta “informação” dá uma animada demais e torcemos que Duke-Njoku seja mais acionado ao jogo. Emmanuel Ogbah não irá jogar devido a uma lesão no tornozelo isso significa que Smith terá uma oportunidade, ele jogou 57 snaps contra o Steelers, principalmente preenchendo Ogbah, também daremos nossa primeira olhada em Anthony Zettel e a rotação maior a ser feita na nossa DL.

Os Browns seriam sábios em seguir com uma abordagem de controle de bola. Isso significa comprometer-se com a execução desde o início e não como último recurso. “Você olha para todos os diferentes cenários para tentar atrasá-los”, disse Jackson sobre os Saints e nessa base que tem que ser seguido o jogo.

Vamos continuar nessa “boa fase”

DEIXE UMA RESPOSTA